Giancarlo Oliveri
BrasilAshoka Fellow desde 1988

Ashoka comemora e celebra a vida e o trabalho deste Ashoka Fellow falecido.

A Nova Idéia

Giancarlo acredita que somente desenvolvendo a cidadania no sentido mais amplo da palavra e promovendo a participação popular ativa nas decisões que afetam suas próprias vidas e comunidades, o ciclo vicioso da pobreza e da fome pode ser quebrado de uma vez por todas. Giancarlo pretende promover essa participação treinando vários líderes eficazes de comunidades de base. Ele tem experimentado várias maneiras de identificar e ajudar esses líderes a emergir. Ele propõe uma série de sessões intensivas de aprendizagem e treinamento de seis meses que contribuirão para uma associação regional de ajuda mútua contínua de líderes de base. Ele reforçaria (e ajudaria a divulgar) esse trabalho documentando e publicando uma série de estudos de caso concretos.

O problema

Giancarlo trabalha atualmente em Mato Grosso do Sul (Centro-Sul do Brasil), mas já estabeleceu outros núcleos no interior de São Paulo. Embora partes do Mato Gross do Sul sejam áreas de fronteira, é em grande parte uma área atrasada com recursos limitados de liderança local e profunda pobreza. Riachos mistos de imigrantes (do nordeste e do sul) reforçados pela diversidade étnica e racial (incluindo alguns povos indígenas locais) tornam a liderança unificada e eficaz mais difícil. Muitos problemas sociais continuam sendo tratados de forma inadequada.

A Estratégia

Trazendo consigo laços estreitos com a igreja (ele foi padre e ainda trabalha com a igreja) e mais de 15 anos de experiência em lidar com grupos de jovens e mulheres, organizações comunitárias e os pobres rurais e de pequenas cidades da região, Giancarlo prevê três passos concretos para multiplicar o número de "agentes populares" eficazes e institucionalizar seus esforços. (1) Em primeiro lugar, ele lançará programas de treinamento intensivo de 6 meses, que serão fortemente baseados em estágios com as organizações de base na área. Cada curso de treinamento envolverá seis "alunos" - tanto jovens prontos para iniciar carreiras em liderança comunitária quanto líderes de base atuais prontos para crescer. Ele organizará estágios de trabalho com grupos da área de saúde, jovens produtivos, cooperativas e bíblicos. Esses estágios serão complementados por encontros regulares dos "alunos" com Giancarlo e outros líderes comunitários. Durante essas reuniões, eles vão comparar seu trabalho imediato e experiências anteriores com o grupo e com os estudos de caso que Giancarlo desenvolve. Eles aprenderão a ser autoconscientemente críticos de sua própria intervenção e, além disso, adquirirão as ferramentas que os ajudarão a fazer isso. Giancarlo espera que todos os participantes também comecem a refletir juntos e a colaborar uns com os outros. (2) Giancarlo começará a documentar casos de organizações comunitárias bem-sucedidas por líderes de base. Baseando-se em exemplos dos últimos 20 anos, ele mostrará "como as pessoas que estavam na periferia da sociedade são agora líderes" que tornaram a mudança possível. A compilação de estudos de caso tornará mais fácil transmitir importantes lições de organização comunitária a seus alunos, àqueles que trabalham em organizações voluntárias de maneira mais ampla e ao público em geral. Giancarlo planeja mais tarde escrever um livro baseado nesses estudos de caso. (3) Giancarlo construirá uma rede de ajuda mútua e colaboração de trabalhadores de base em toda a região. Ele já começou a trabalhar nessa iniciativa. As extensas viagens que este trabalho exige, obrigou Giancarlo a dedicar todo o seu tempo a este empreendimento agora. Com a ajuda da Ashoka, Giancarlo poderá deixar o seu trabalho a tempo parcial como assistente especial e solucionador de problemas do Bispo para se dedicar a tempo inteiro ao desenvolvimento e divulgação do seu trabalho.